Home/ Noticias/ SEMINRIO DE ORGANIZAO E PLANEJAMENTO DEBATEU E DELIBEROU SOBRE AS AES PARA 2018

SEMINÁRIO DE ORGANIZAÇÃO E PLANEJAMENTO DEBATEU...

SEMINÁRIO DE ORGANIZAÇÃO E PLANEJAMENTO DEBATEU E DELIBEROU SOBRE AS AÇÕES PARA 2018

Por Suely Torres

seminarioplan2018

(Foto: Paulo Rogrio "Neguita")

 

Como de costume, o nosso Sindicato faz todo final de ano, o Seminrio de Organização e Planejamento, para avaliar as atividades realizadas e traçar, luz da realidade objetiva da categoria, as ações necessrias para a luta em defesa dos direitos e conquistas.

Desta vez, o Seminrio foi muito mais alm. Deparamo-nos com a exigência de aprofundar o que est posto na nova Lei Trabalhista, no sentido de preparar, não apenas as ações da entidade, mas, principalmente, os trabalhadores para enfrentar os novos desafios advindos da enorme transformação ocorrida na relação de trabalho em nosso pas.

Com relação s ações sindicais para o ano de 2018, o Seminrio debateu e decidiu ampliar as atividades como a realização de seminrios, debates, fortalecer os departamentos de comunicação, de Sade e Segurança, com ênfase na construção de CIPA’s nas empresas, visitas e reuniões com os trabalhadores nos locais de trabalho, com a meta de atingir, no mnimo, 80% da categoria este ano, entre outras ações como o CIPÃO e atividades em comemoração ao Dia do Padeiro, pois, o momento exige forte mobilização e participação dos trabalhadores nas lutas e atividades do Sindicato.

ENFRENTAR A NOVA LEI TRABALHISTA

Para entender, com maior profundidade, a nova Lei Trabalhista, o nosso Sindicato dedicou boa parte do Seminrio de Organização e Planejamento para debater a questão. Para isso, convidou dois advogados estudiosos do tema, doutor Hudson Marcelo da Silva e doutor Clovis Renato, os quais fizeram suas exposições, no sentido de aprimorar as intervenções da entidade frente s ofensivas e ameaças da nova Lei.

O doutor Clvis Renato, alm de destrinchar o contedo dos principais tpicos da nova Lei, reafirmou que fundamental que o Sindicato tome todas as medidas polticas e jurdicas para defender os trabalhadores, pois existem inmeras brechas na prpria legislação trabalhista aprovada que contradizem o que determina a Constituição Federal, abrindo caminhos para quebrar os possveis abusos praticados pelos patrões.

Na opinião do doutor Hudson, o Trabalho Intermitente ir causar muito sofrimento aos trabalhadores que forem submetidos a esse tipo de contrato e, mesmo o Sindicato sendo contrrio, deve negociar e fazer o enfrentamento especfico para aprimorar o trabalho intermitente, pois, caso contrrio, ficar muito difcil para o trabalhador, que correr o risco de exercer suas funções sob a gide de uma “escravidão moderna.”

Para Hudson, se o Sindicato não estiver no âmbito das negociações coletivas dos trabalhadores que têm contrato de Trabalho Intermitente, s Deus sabe aonde eles irão parar, alm do que, o Sindicato poder exercer um papel fiscalizador e organizar esses trabalhadores para que eles tenham condições de defenderem seus direitos dos ataques causados por esse tipo de contrato.

Chiquinho Pereira, presidente do nosso Sindicato, ao finalizar o Seminrio disse que a entidade est preparando a diretoria, os assessores e os funcionrios da Sede e Subsedes para adquirirem maior conhecimento sobre a nova Lei, no sentido de ajudar os trabalhadores a se defenderem das ofensivas dos patrões, contra seus direitos.

“O nosso Sindicato, como sempre fez, ir reforçar sua equipe no sentido de percorrer toda a nossa base de trabalhadores. O que vamos fazer nada mais do que ampliar nossas ações, e debater com o trabalhador dentro das empresas, explicando a nova realidade em que fomos submetidos com o advento Reforma Trabalhista. Esse trabalho essencial para qualquer Sindicato que tem a pretensão de lutar contra essa situação e defender o trabalhador. Portanto, h muito trabalho a ser feito e temos que ser incansveis nessa luta.” Finalizou o dirigente.